Inovando Pelo Mundo.

Noticías

Anúncios e Atualizações

Finalistas do programa ‘Seeds for the Future’ da UNITEL felicitados pelo secretário de Estado

 

Oriundos das melhores universidades angolanas, os estudantes irão à China no dia 26, para uma viagem profissional e cultural de duas semanas e terão a possibilidade de visitar uma das mais avançadas e inovadoras instalações de Investigação e Desenvolvimento do mundo, a Huawei. O secretário de Estado das Telecomunicações, Mário Oliveira, felicitou os candidatos, a Huawei e a Unitel pela iniciativa, e explicou que não há futuro sem informação, pelo que, com isso, dá-se um passo muito importante na preparação dos jovens do sector das telecomunicações.


Para o secretário, os 10 jovens seleccionados vão colher experiências tecnológicas de mais alto nível, da Huawei, uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo, a nível, sobretudo, de fabricação de equipamentos. Aproveitou a ocasião para encorajar os jovens a não desistirem dos seus sonhos e serem capazes de aproveitar essa oportunidade. “É a bandeira de Angola que vai estar representada, e os jovens carregam um peso muito grande, porque estarão também jovens de outros países, mas acredito que eles saberão bem representar o nosso país. Para além de terem um programa técnico científico também terão programas culturais, então terão a oportunidade de apresentar aquilo que é a realidade do nosso país do ponto de vista cultural”, disse.
Interação com outros os técnicos
Por sua vez, a directora-geral adjunta da Unitel, Eunice de Carvalho, explicou que a parceria entre a Unitel e a Huawei enquadra- se no programa de responsabilidade cooperativa da Huawei Seeds for the Future (sementes para futuro). É um programa de duas semanas de estudos na China, onde a primeira semana será uma visita cultural a Beijing e a segunda semana uma visita de estudo à sede da Huawei, em Shenzhen. O grupo de estudantes terá a oportunidade de visitar os laboratórios daquela empresa, interagir com os técnicos e tomar conhecimento das grandes novidades das telecomunicações. “Achamos ser uma oportunidade- chave dos nossos estudantes porem em prática aquilo que assimilem da teoria, durante as suas aulas, sendo que a Huawei é uma das empresas chaves no mundo das telecomunicações”, disse.


Nesta experiência, os estudantes terão a oportunidade de conviver com o ambiente único de uma empresa de alta tecnologia, globalmente reconhecida, interagir com engenheiros de alto nível, assistir à demonstração de várias soluções inovadoras e experienciar actividades práticas na sede da Huawei, em Shenzhen. Farão também uma visita a Pequim durante esta viagem. Já o vice-presidente da Huawei em Angola, Kim Jinxin, explicou que dado o tempo que a Huawei está em Angola é mais que tempo para estar envolvida neste tipo de programa. “Essa é a quarta vez que fazemos esse programa com o Governo, mas desta vez decidimos cooperar com a Unitel, porque vamos aproveitar a plataforma da Unitel para melhorar a comunicação do nosso programa”, fez saber. Disse ainda que os seleccionados, nessas duas semanas que vão ficar na China, receberão informações sobre a cultura chinesa e conhecimentos mais avançados dos laboratórios centrais da Huawei, para além de interagirem com alunos de outros países como o Chile, Peru e Bulgária, que também foram seleccionados.
São estudantes de excelência
Implementado em Angola com a Huawei, o programa “Seeds for the Future” visa proporcionar uma oportunidade única para os melhores estudantes nas áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Concorreram 86 indivíduos, dos quais 21 passaram para a fase de entrevistas e destes foram seleccionados somente dez. “Estavam elegíveis para o programa estudantes com menos de 30 anos que estivessem matriculados em universidades ou institutos superiores acreditados pelo Governo de Angola .


Estudantes pretendem pôr em prática o que aprenderem na China


Em entrevista a OPAÍS, Ernesto Manuel distinto ufuene, de 23 anos, estudante do 5º ano do Curso de engenharia electrónica e Telecomunicações, da universidade Agostinho neto, disse que pretende concretizar o que for dito e aprendido na China, bem como aproveitar ao máximo as visitas aos laboratórios da Huawei, por ser uma grande empresa no ramo das telecomunicações. Já Adélia ivandra lourenço Cambuta, de 22 anos, – engenharia informática (instituto Superior Politécnico de Benguela), também do 5º ano, acha ser um grande privilégio estar entre os escolhidos num universo de 86 candidatos. espera aprender muita coisa nesta experiência e poder revolucionar o mercado angolano das telecomunicações. Por fim, Ricardo Alexandre Fernandes marques, de 22 anos, do curso engenharia mecatrónica (universidade metodista) disse ser uma oportunidade única e espera aproveitar da melhor forma e ter bastante conhecimento acerca das tecnologias de comunicação a nível internacional e conhecer as outras culturas que vão participar no programa.

 
Zuinder Manicoart, music, film